Vamos entender o que é uma dieta equilibrada. No caso dos bebês e das crianças, é aquela que oferece os nutrientes essenciais para garantir o seu adequado desenvolvimento, ao mesmo tempo em que fortalece o sistema imunológico e dá energia para as atividades diárias. Sobre esses nutrientes, entenda que são carboidratos, proteínas, gorduras, fibras, vitaminas e minerais.

Veja mais:

Alimentação e amamentação: o que comer e o que evitar
Primeiros meses do bebê: O que esperar e no que ficar de olho

Vamos conhecer os nutrientes
Os carboidratos também podem ser chamados de alimentos energéticos. São os tubérculos, os cereais, as massas, os pães e, pensando na energia propriamente dita, as gorduras (azeite, gema de ovo, castanhas). São eles que dão combustível para a realização das tarefas da criança e também das atividades metabólicas.
Também conhecidos como alimentos construtores, aqueles que são fontes de proteínas têm papel fundamental no crescimento infantil. Carnes, ovos, leguminosas (grão-de-bico, feijão, lentilha, ervilha), leite e derivados são essenciais para a saúde óssea e o crescimento e a manutenção da musculatura.
Os alimentos reguladores são aqueles que oferecem boas quantidades de fibras, vitaminas e minerais. É o caso, principalmente, das frutas e hortaliças, que fortalecem o sistema imunológico e garantem que todas as funções metabólicas sejam cumpridas adequadamente.

Veja mais:

Nutrição infantil: 10 passos da alimentação saudável
5 dicas fundamentais para prevenir a obesidade infantil

Hora de montar o pratinho saudável!

Agora que você já entendeu as principais funções dos nutrientes que são indispensáveis nas refeições dos pequenos, é hora de colocar tudo em prática, tendo em mente que as orientações são válidas para a alimentação de toda a família.
O segredo da alimentação saudável é saber combinar bem todos esses nutrientes, sempre variando ao máximo os tipos de alimentos (para ter um aporte adequado de diferentes nutrientes, especialmente vitaminas e minerais).
O pediatra Mauro Fisberg, no livro “Guia Descomplicado da Alimentação Infantil”, alerta sobre a importância de manter a qualidade da alimentação ao longo de todo o dia, e não focar apenas nas refeições principais: “Desde o café da manhã até o jantar, é essencial que haja um balanço de nutrientes”.
Lembrando que o Ministério da Saúde recomenda que a base da alimentação deve contar com alimentos in natura ou minimamente processados. Os alimentos processados devem ser limitados e os ultraprocessados, evitados.

Veja mais:

Meu filho não quer comer, e agora?
Veja como o preparo pode alterar o valor nutricional dos alimentos

Mão na massa!

Pensando em ajudar você na elaboração das refeições principais dos pequenos, elaboramos, dentro do projeto Cardápio Saudável, um prato saudável que pode ser adaptado para crianças em diferentes fases de crescimento e maturidade de mastigação.
Para preparar as receitas do pratinho, você vai precisar de:
• 1 fio de azeite
• 30g de cebola picada em cubos pequenos
• 60g de tomate sem pele e sem semente em cubos pequenos
• 80g de cenoura em rodelas
• 200g de espinafre picado
• 100g de arroz branco
• 100g de feijão carioca
• 100g de músculo picado em cubos pequenos
• 300ml de água quente
O modo de preparo você acompanha nos vídeos abaixo.
Veja que, de um vídeo para o outro, há pequenas alterações, especialmente de textura, nas refeições servidas para cada faixa etária:

Refeição para criança de 6 meses:

 

Refeição para criança de 9 meses:

 

Refeição para criança de 12 meses:

 

O que acontece em cada fase

Após o sexto mês de amamentação exclusiva, o bebê passa a receber a chamada alimentação complementar, que é quando ele tem os primeiros contatos com os alimentos. Pensando nas preparações para essa faixa etária, o ideal é que não se utilize temperos prontos, sal nem açúcar na comida. A ideia é respeitar a sutileza do paladar do bebê, fazendo com que ele conheça o verdadeiro sabor de cada ingrediente.
Já quando a criança atinge os dois anos, entra em uma fase mais seletiva e pode rejeitar vários dos alimentos saudáveis. Nesse caso, os especialistas do Ministério da Saúde alertam para que não se substitua a comida caseira por guloseimas ou lanches e que se use a criatividade na hora de elaborar receitas e oferecer os alimentos dentro do pratinho saudável.

Quer ver dicas de saúde? Veja mais no blog da Care Plus e assine o canal da Care Plus no Youtube.