Muito bem! Você mulher consciente e antenada na saúde, já marcou seu Ginecologista.

Alguns exames complementares podem ser necessários para complementar a avaliação. Vamos entender para que serve cada exame?

Mamografia: esse exame utiliza uma baixa dose de radiação para fotografar a mama em diferentes posições, com ele é possível identificar imagens como as calcificações agrupadas que indicam a presença de tumores malignos. O diagnóstico de certeza só pode ser feito após a biópsia. Mulheres muito jovens não se beneficiam deste método em particular pela alta densidade das mamas, sendo preferível a ultrassonografia mamária.

Ultrassom pélvico e de mama: utiliza um transdutor que emite ondas sonoras que são captadas e convertidas em imagem. O USG pélvico pode ser realizado via transvaginal em mulheres já com vida sexual ativa ou via abdominal. Assim é possível caracterizar condições do útero, colo, trompas e ovários. Já o exame das mamas é realizado para identificar características ecográficas dos tecidos da mama e axila e pode até mesmo visibilizar o fluxo sanguíneo da região, com auxílio do modo Doppler.

Colpocitologia oncótica: Popularmente conhecido como Papanicolau, este exame é utilizado no rastreio do câncer de colo uterino. Após o exame especular é feita a raspagem das células do colo do útero. As células são fixadas na lâmina e enviadas para laboratório especializado para receber coloração e leitura, e após classificadas quanto o risco de malignidade.

Densitometria óssea: é também um exame que utiliza radiação ionizante para avaliar a qualidade do osso. A menopausa aumenta o risco da osteoporose, e por isso este é um importante exame a ser feito quando as mulheres chegam nesta fase da vida.

Dosagens hormonais: A avaliação laboratorial dos hormônios FSH, LH, Estradiol, Progesterona e Testosterona deve ser solicitada nas mulheres somente pelo médico, e frente a alguma suspeita clinica como irregularidades menstruais ou infertilidade. Atente-se para a data de coleta orientada, estes hormônios oscilam durante o ciclo menstrual e a correta coleta é essencial para a correta interpretação.

O mais importante é sempre realizar as avaliações com profissionais de confiança e manter a prevenção das doenças. A realização de exames por conta própria ou sem indicação médica pode causar confusão, dor de cabeça e ansiedade, por isso não é recomendada.