Com a chegada do mês de outubro, as redes sociais e os canais de comunicação compartilham inúmeras informações sobre temas relacionados à saúde feminina, sobre procedimentos e cuidados ginecológicos.

O Outubro Rosa nasceu da necessidade de alertar sobre a importância dos exames ginecológicos e seus diagnósticos precoces, o que faz com que o tratamento seja realizado com maior atenção e rapidez para solucionar a doença detectada.

Este alerta é muito importante, mas é preciso destacar ainda os cuidados com a saúde de uma forma geral. Como já sabemos, o organismo possui certas individualidades que precisam de atenção, por isso destacamos aqui alguns problemas mais comuns, confira abaixo.

Maior risco para doenças cardiovasculares

Um dado alarmante é a saúde do coração. As mulheres têm 50% a mais de probabilidade de sofrerem ataques cardíacos do que os homens e, segundo os dados do Ministério da Saúde, aproximadamente 20 mil óbitos são decorrentes de problemas cardiovasculares.

As mulheres têm menor calibre nas artérias, já que as placas ateromatosas fecham mais suas artérias do que dos homens, o que causa maior obstrução e leva às oclusões arteriais. O estrógeno tem uma função vasodilatadora e evita o acúmulo do colesterol ruim, além de facilitar a passagem do colesterol bom. Porém, durante a menopausa, o estrógeno sofre uma queda progressiva, diminuindo esse efeito de proteção, essa é uma das causas mais comuns. Vale ressaltar ainda que diversos outros fatores podem contribuir, por exemplo, uma vida mais sedentária, hábitos alimentares ruins.

Problemas de distúrbios emocionais

Além do coração, a saúde mental também é um ponto que deve receber atenção na vida mulher. Na maioria das vezes elas acabam acumulando suas atividades e se sobrecarregam. A necessidade de ser multitarefa pode trazer como reflexo oscilações emocionais mais intensas. Nesse cenário e até em algumas situações pós-traumáticas ou por conta das alterações hormonais vividas, a possibilidade é de duas vezes maior de desenvolver depressão e alguns distúrbios emocionais, quando comparamos com os homens.

Problemas psicológicos como depressão, bipolaridade e ansiedade não são incomuns. No atual cenário, esse é um tema que vem sendo discutido há um tempo. Segundo a OMS, as mulheres são as principais afetadas pela depressão, 5,1% delas, e já entre os homens, a taxa é de 3,6%. Além da depressão, a ansiedade, outro problema muito comum na atualidade, também tem como alvo principal as mulheres. A OMS afirma em seus estudos que, 42% das mulheres sofrem de transtorno de ansiedade, doença que atinge um número muito menor de homens, na taxa de 29%.

 

Osteoporose 

A osteoporose é um problema que atinge ambos os sexos, com mais frequência as mulheres. Geralmente se manifesta após a menopausa, quando hormônio estrogênio sofre uma diminuição em sua produção, isso induz e acelera toda a atividade de reabsorção óssea, o que contribui para a perda óssea.  

Esses são apenas alguns dos problemas relacionados à saúde da mulher que também devem receber atenção. Vale lembrar que o melhor caminho para uma vida mais saudável é sempre a prevenção, por isso é essencial adotar hábitos alimentares adequados e fazer atividades físicas. Lembre-se também de se consultar sempre com os médicos e fazer os exames preventivos.